Versões da escolha profissional em tempos de SISU: um olhar gestáltico costurado pela TAR

Nome do/a aluno/a: Juliana Rangel Sabatini

Orientador/a: Laura Cristina de Toledo Quadros

Ano: 2019

Banca: Profª. Drª. Laura Cristina de Toledo Quadros (Orientadora) Instituto de Psicologia – UERJ; Profª. Drª. Angela Maria Carneiro Silva Universidade Federal Fluminense – UFF; Prof. Dr. Ronald João Jacques Arendt Instituto de Psicologia – UERJ.

Resumo: Esse trabalho buscou acompanhar o momento da escolha profissional durante o processo seletivo do SISU (Sistema de Seleção Unificada). Isto se deu ao longo dos anos de 2017 e 2018, conseguindo abarcar quatro processos seletivos. O SISU é o método mais utilizado na atualidade como porta de entrada para a maioria das universidades públicas do país. Tal sistema recolhe dados daqueles que fizeram a prova do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) e se inscreveram nele, criando um ranking diário, enquanto duram as inscrições, no qual o candidato pode em um dia estar dentro do quantitativo de vagas para a carreira desejada na universidade escolhida e no outro, já não estar mais. A proposta da pesquisa foi realizar uma leitura na Teoria Ator-Rede, considerando um conceito fundamental nela que é o de Ator (ou actante), isto é, tudo aquilo que age, que deixa rastros, que faz fazer algo. Seria o SISU um ator no processo da escolha da profissão? No encontro com este campo, inúmeras narrativas se mostraram a partir das afetações dos candidatos com o ranking promovido pelo SISU, tais como: medo de não conseguir entrar na vaga, ansiedade gerada pela mudança do ranking, estratégias de entrada na universidade, escolha motivada pela nota tirada no ENEM, dentre outras. Algumas reflexões foram proporcionadas ao acompanhar os movimentos promovidos por tal processo. Uma delas foi pensar a escolha profissional como um fenômeno de campo, considerando as ideias trazidas por Kurt Lewin em sua Teoria de Campo, uma das bases teóricas da Gestalt-Terapia, abordagem que também permeou essa pesquisa. A partir destas questões, refletiu-se sobre o papel das orientações profissionais na atualidade, uma vez que as escolhas se dinamizam dentro deste processo seletivo atual. Finalmente, este trabalho também proporcionou outros desdobramentos, tais como: conhecer os dados sobre a realidade dos alunos das instituições federais do Brasil ao encontrar e analisar a IV Pesquisa do Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação das Instituições Federais de Ensino Superior Brasileiras, que traz informações fundamentais de serem divulgadas; realizar uma discussão sobre a pesquisa com redes sociais na atualidade, envolvendo a questão ética; e refletir sobre uma pesquisa científica que propõe uma metodologia dos afetos, mantendo seu rigor.

Link da biblioteca: http://catalogo-redesirius.uerj.br/sophia_web/index.asp?codigo_sophia=263953

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Programa de Pós-graduação em Psicologia Social

Laura Cristina de Toledo Quadros – Coordenadora do PPGPS

Adriana Benevides Soares – Coordenadora Adjunta do PPGPS

ppgps.uerj@gmail.com Tel: (21) 2334-0236 – Fax: (21) 2334-0216

Rua São Francisco Xavier, 524/10º andar, sala 10.009, bloco F – Maracanã, Rio de Janeiro, CEP 20550-013
Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Instituto de Psicologia UERJ

%d blogueiros gostam disto: