Psicoeducação das emoções em atletas: uma revisão bibliográfica acerca do medo

Nome do/a aluno/a: Paulo Sergio Ribeiro Barboza

Orientador/a: Alberto José Filgueiras Gonçalves

Ano: 2018

Banca: Prof. Dr. Alberto José Filgueiras (Orientador) Instituto de Psicologia – UERJ; Profa. Dra. Ângela Josefina Donato Oliva Instituto de Psicologia – UERJ; Profa, Dra. Juliana Lopes Massapust Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Resumo: Na atualidade, as intervenções envolvendo a Psicologia do Esporte vem sendo cada vez mais valorizadas pelos atletas profissionais e suas equipes, as quais entendem que o direcionamento psicológico de tais indivíduos se faz tão importante quanto o domínio físico e técnico da prática desportiva. A Psicologia do Esporte atua no desenvolvimento nessa égide sob quatro elementos fundamentais: iniciação; exercício físico; reabilitação; e alto rendimento. Quanto ao alto rendimento, as abordagens científicas e práticas que contemplam tal esfera vem sendo estimados com base nas abordagens psicoeducativas que abrangem aspectos relacionados à inteligência emocional, sobretudo envolvendo o manejo e a regulação das emoções nos atletas. Naturalmente, os atletas de alta performance passam por diferentes situações em diferentes contextos a fim de tomarem decisões de modo célere e adequado, sendo um aspecto fundamental para que obtenham ótimo desempenho. Diante da experimentação do medo do fracasso, os atletas que não detêm repertório de enfrentamento para controle de tal emoção podem ter seu desempenho significativamente afetado, paralisando-os por completo e impedindo-os a tomada de decisão. Partindo dessas premissas, o presente estudo busca abordar o referencial bibliográfico acerca das emoções nos atletas, em especial o medo e seus impactos psicofisiológicos. Estudar-se-á a psicoeducação como um conjunto de técnicas e de procedimentos adequados e estruturados de modo estratégico para que os atletas de alto rendimento possam obter um desempenho ótimo, sem que se tornem reféns de um medo congelante, mas sim fazendo uso adequado do controle educacional para o seu processo decisório durante a prática desportiva, permitindo uma tomada de decisão rápida e adequada à situação vivenciada pelo atleta. O presente trabalho de pesquisa bibliográfica investigou cinco bases de busca com relevância nacional e internacional: Scielo; PubMed; Scopus; ScienceDirect; e Redalyc. Todas as buscas foram feitas com as tags “Psicoeducação” e “Atletas” (com suas respectivas variações para o inglês: Psychoeducation e Athletes; e para o espanhol Psicoeducación e Atletas). Foram retornados apenas 93 resultados, dos quais apenas sete endereçavam realmente a um protocolo de psicoeducação com base em evidências e voltado especificamente para a população de atletas e desportistas. Apesar desse montante, nenhum levanta a questão das emoções e, especificamente, o medo do fracasso, focando em outros aspectos como bulimia, anorexia, qualidade do sono e doping.

Link da biblioteca: http://catalogo-redesirius.uerj.br/sophia_web/index.asp?codigo_sophia=265870

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Programa de Pós-graduação em Psicologia Social

Laura Cristina de Toledo Quadros – Coordenadora do PPGPS

Adriana Benevides Soares – Coordenadora Adjunta do PPGPS

ppgps.uerj@gmail.com Tel: (21) 2334-0236 – Fax: (21) 2334-0216

Rua São Francisco Xavier, 524/10º andar, sala 10.009, bloco F – Maracanã, Rio de Janeiro, CEP 20550-013
Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Instituto de Psicologia UERJ

%d blogueiros gostam disto: