Familhando: um estudo não moderno acerca da família contemporânea

Nome do/a aluno/a: Ulisses Heckmaier de Paula Cataldo

Orientador/a: Laura Cristina de Toledo Quadros

Ano: 2019

Banca: Profa. Dra. Laura Cristina de Toledo Quadros (Orientadora) Instituto de Psicologia – UERJ; Prof. Dr. Ronald João Jacques Arendt Instituto de Psicologia – UERJ; Profa. Dra. Eliane Caldas do Nascimento Oliveira. Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Fernandes Figueira; Profa. Dra. Rosana Lázaro Rapízo Instituto de Psicologia – UERJ.

Resumo: O Presente trabalho descreve a experiência de uma pesquisa em psicologia social desde os seus primeiros contatos com o campo de pesquisa até sua finalização. Compreendendo a prática de conhecimento como o testemunho do trajeto de pesquisa, este trabalho tem por objetivo proliferar novas versões acerca do que compreendemos por família hoje e problematizar os efeitos da família nos modos de nos relacionarmos. Os primeiros contatos com o campo, o estranhamento e a hesitação do pesquisador frente à pluralidade de definições que o objeto família comporta perante as ciências da família constituem a primeira sessão do trabalho. A seguir, perseguindo estas hesitações, prossegue-se com a discussão sobre o objeto, quando os aportes teóricos-metodológicos da Teoria Ator-rede entram em cena, deslocando a pesquisa do conceito de família para as práticas que os atores, em suas materialidades relacionais, põe em cena. No horizonte desse deslocamento, o recurso metodológico utilizado para investigar o que a família pode, ou o que a família faz, a partir de outras perguntas, deu-se com a realização de rodas de conversa com alunos e alunas do curso de graduação de psicologia, onde o autor leciona a disciplina terapia casal-família. Articulando toda uma sorte de atores humanos e não-humanos que compõe a trajetória do pesquisador, buscou-se, com a família, construir uma prática de sintonia na narrativa de novas verões do que a família pode ser, o que teve, como efeito, transbordamentos múltiplos, como a forma com que as relações se organizaram no campo, fazendo da noção de família, o familhando; neologismo empregado no trabalho.

Link da biblioteca: http://catalogo-redesirius.uerj.br/sophia_web/index.asp?codigo_sophia=264958

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Programa de Pós-graduação em Psicologia Social

Laura Cristina de Toledo Quadros – Coordenadora do PPGPS

Adriana Benevides Soares – Coordenadora Adjunta do PPGPS

ppgps.uerj@gmail.com Tel: (21) 2334-0236 – Fax: (21) 2334-0216

Rua São Francisco Xavier, 524/10º andar, sala 10.009, bloco F – Maracanã, Rio de Janeiro, CEP 20550-013
Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Instituto de Psicologia UERJ

%d blogueiros gostam disto: