A amamentação vivenciada por pais: representações sociais e experiências

Nome do/a aluno/a: Aline da Silva Gonçalves

Orientador/a: Denize Cristina de Oliveira

Ano: 2018

Banca: Profa. Dra. Denize Cristina de Oliveira (Orientadora) Instituto de Psicologia – UERJ; Profa. Dra. Deise Maria Leal Fernandes Mendes Instituto de Psicologia – UERJ; Profa. Dra. Marisa dos Santos Viale Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Resumo: A amamentação é um fenômeno que acompanha a vida humana, guardando características biológicas e sociais, no entanto, historicamente, foi associada à mulher. O papel do homem-pai nesse processo foi pouco estudado. Esta pesquisa sobre as representações sociais de pais sobre a amamentação teve como objetivo analisar as representações sociais e as práticas de homens-pais sobre a amamentação. Método: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa, fundamentado na Teoria das Representações Sociais. O grupo estudado foi composto por 103 pais acompanhantes de mães que estavam em um hospital maternidade público, localizado na cidade do Rio de Janeiro. Para a coleta de dados foi utilizado um questionário de caracterização dos sujeitos e um roteiro de entrevista semiestruturada. As entrevistas foram gravadas e transcritas. Os dados dos questionários foram analisados com estatística descritiva e os das entrevistas a partir da técnica de análise de conteúdo temático/categorial, explorando os conteúdos representacionais e as práticas de pais sobre a amamentação. Resultados: O grupo estudado caracteriza-se por: hegemonicamente, homens jovens, pais biológicos do bebê, primíparos, casados, vivem com a companheira ou estão em união estável e residem com a família. A principal fonte de informação sobre a amamentação foi por meio dos profissionais de saúde inseridos num contexto institucional de saúde; as puérperas se encontravam em prática do aleitamento materno exclusivo, aleitamento materno misto ou parcial no pós-parto imediato. Na análise das entrevistas emergiram três categorias: práticas do pai sobre a amamentação; conhecimentos do pai sobre a amamentação; sentimentos, idealização e frustração expressos na amamentação. Essas categorias revelam que o pai valoriza a amamentação como necessária ao bebê, se incluem na mesma e vislumbram formas de operar essa inclusão. Os relatos dos pais sugerem um grupo próximo e presente durante a amamentação. Assim, foi possível descrever e discutir as formas de conhecimentos, atitudes, sentimentos e imagens participantes da representação social do pai em relação à amamentação. Conclui-se que o pai ocupa um lugar de retradutor do conhecimento do senso comum construído pelas famílias e também do conhecimento técnico profissional retransmitidos pelos profissionais de saúde sobre a amamentação, revelando possuir um conhecimento parcial, ora interferindo de forma negativa, ora positiva na experiência de amamentação.

Link da biblioteca: http://catalogo-redesirius.uerj.br/sophia_web/index.asp?codigo_sophia=243500

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Programa de Pós-graduação em Psicologia Social

Anna Paula Uziel – Coordenadora do PPGPS

Laura Cristina de Toledo Quadros – Coordenadora Adjunta do PPGPS
 

ppgps.uerj@gmail.com Tel: (21) 2334-0236 – Fax: (21) 2334-0216

Rua São Francisco Xavier, 524/10º andar, sala 10.009, bloco F – Maracanã, Rio de Janeiro, CEP 20550-013
Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Instituto de Psicologia UERJ

%d blogueiros gostam disto: